segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Infância.

Pendurada na sacada do prédio onde resido, fiquei a olhar o movimento da rua, cinzenta e escura.
É tão sem cor, tão sem vida, aquela minha rua tão vazia.
As pessoas já não falam “Bom dia” com um sorriso nos lábios.
Já não descansam no parque para tomar um ar, olhar a paisagem.
Elas não tem mais tempo.
Até mesmo as crianças já não brincam de esconder, na minha rua vazia.
Só de pensar que nessa mesma rua, passei momentos inesquecíveis, com minha boneca debaixo do braço.
Tinha cor, tinha passarinhos cantando em volta.
Os namoros infantis, eram inocentes, eram intensos, mas não passava de um selinho ou mãos dadas.
As pessoas conversavam todos os dias, no meio-fio da outra calçada.
Eu tinha minha turma, tinha minhas reuniões da turminha da rua debaixo, tinha as brincadeiras.
Eram engraçadas, mas pensando bem, poderíamos levar uma surra por fazê-las.
Tinha os apelidos...
E que apelidos, um mais criativo que o outro.
Que saudade do meu tempo, que não é tanto tempo assim.
Mas era o tempo em que ainda se podia brincar no meio da rua.
Hoje o que vejo nada mais é, do que uma rua vazia...


* Por: Juliana Gonçalves. (Plágio é crime)

2 comentários:

  1. Ganheei um selo, e repassei pra você pega láa

    Beijoos

    http://rabiscoscriativos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Amei teu blog!E me identifiquei muito com você,tbm amo Beatles,cinema e todo o resto que vs escreveu alí em cima!rsrs
    Já tô te seguindo!E ficaria muito feliz se vs seguisse meu blog tbm!Passa lá!Kisses,love and rockets!

    http://10coisas2.blogspot.com

    ResponderExcluir